Política

Bolsonaro alerta que Brasil pode sofrer crise política como os EUA

Bolsonaro alerta que Brasil pode sofrer crise política como os EUA

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro alertou na semana passada que por causa da falta de confiança no sistema eleitoral – que ele repetidamente afirmou ser vulnerável a fraudes – seu país pode passar por uma crise política semelhante à dos Estados Unidos.

Jair Bolsonaro

Presidente brasileiro Jair Bolsonaro (Foto: Jeso Carneiro, CC BY-NC 2.0)

Embora especialistas e juízes locais tenham dito no passado que o sistema de votação eletrônica do Brasil é justo e preciso, o líder de extrema direita insistiu que ele é fraudulento, sem oferecer qualquer evidência para sua afirmação. Ele também instou o país a voltar às cédulas impressas nas eleições presidenciais de 2022, quando planeja concorrer a um segundo mandato.

“Se não tivermos cédulas impressas em 2022, uma forma de auditar votos, teremos problemas piores do que os Estados Unidos”, disse Bolsonaro a apoiadores na quinta-feira em frente à residência presidencial em Brasília.

Seus comentários foram feitos um dia depois do ataque da multidão em Washington, quando os apoiadores do presidente Donald Trump invadiram o Capitólio pouco antes da reunião do Congresso para certificar a vitória de Joe Biden. 

“As pessoas  agora precisam analisar o que aconteceu nas eleições americanas”, disse Bolsonaro.  

“Basicamente, qual foi o problema, a causa de toda essa crise? Falta de confiança no voto ”, disse ele, explicando que, por causa da pandemia, os americanos votaram esmagadoramente pelo correio e que, como resultado,“ havia pessoas lá que votaram três ou quatro vezes, além de mortos ”. 

O líder brasileiro criticou amplamente o sistema de votação de seu país no passado. Na eleição presidencial de 2018, onde garantiu a vitória após o segundo turno, Bolsonaro disse estar certo de que teria vencido de imediato se não houvesse urnas eletrônicas.

Mais recentemente, nas eleições locais do Brasil realizadas em outubro do ano passado, o presidente voltou a lançar dúvidas sobre a confiabilidade das máquinas.

O OCCRP recentemente nomeou Bolsonaro a Personalidade do Ano de 2020 por seu papel na promoção do crime organizado e da corrupção.  

Em uma batalha estreita com dois outros candidatos – o presidente dos Estados Unidos Donald Trump e o presidente turco Recep Erdogan – OCCRP concedeu a Bolsonaro o título pouco lisonjeiro por causa de suas ligações com figuras corruptas, o uso de propaganda para promover uma agenda populista, seus ataques contra o sistema de justiça e sua destruição contínua da Amazônia. 

Compartilhar

Últimas Notícias